AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Maior que o Gripen, drone russo testa capacidade de ataque

O Sukhoi S-70 Okhotnik atingiu com sucesso alvos em solo localizados no estande de tiro de Ashuluk, no sul da Rússia. O drone lançou bombas não guiadas de 500 kg e alcançou precisão acurada graças aos sistemas de mira a bordo. As informações são da agência RIA Novosti.

De acordo com a fonte citada pela agência, os equipamentos de mira e de navegação do Okhotnik permitem utilizar bombas “burras”, mais baratas, com a mesma precisão de bombas guiadas. Os testes envolveram tanto alvos estáticos quanto móveis.

O Sukhoi S-70 Okhotnik, nome que significa “caçador”, voou pela primeira vez em 3 de agosto de 2019. De acordo com os anúncios oficiais, há o planejamento de serem utilizados mísseis ar-ar como o R-77/AA-12, equivalente russo ao AIM-120 AMRAAM. No futuro, o Su-70 pode servir de wingman para aeronaves tripuladas Su-57.

Outras tarefas a serem executadas pelos S-70 como alas dos Su-57 poderão ser a designação de alvos e ampliação da cobertura radar, com o envio de dados por datalink. A carga bélica, porém, não pode ser desprezada: poderão ser levados um total de 2 toneladas de armamentos.

Os dados divulgados pelo Ministério da Defesa Russo sugerem que o S-70 Okhotnik-B é efetivamente comparável a um caça convencional. A aeronave não tripulada tem um peso vazio de 20 toneladas, superior ao Sukhoi Su-35S (17,2 toneladas) e quase três vezes superior ao de um Gripen C (6,8 toneladas). O avião de combate não tripulado russo tem 20 metros de envergadura. É, portanto, mais que o visto no Su-35 (15,3 metros) e Su-30 (14,7 metros).

O motor do S-70 Okhotnik-B é um Saturn AL-31F, igual ao utilizado pelo Su-30, com força de empuxo máximo de 33 mil libras. O F414-GE-39E dos futuros Gripen da FAB despeja 22 mil libras de força. O norte-americano X-47B também leva 2 toneladas de armamento, mas seu motor F100-PW-220U, ainda que semelhante ao utilizado nos caças F-16 e F-15, não conta com pós-combustão, tendo um empuxo limitado.

Já o X-45 conta com o F124, similar ao usado em caças leves, como o M-346 e o L-159. Um concorrente direto parece ser o Boeing Phantom Ray, porém se trata de uma aeronave menor, com 25% a menos de envergadura: 15 metros.