AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Mais uma força aérea com jatos chineses?

O K-8 pode ser usado tanto para treinamento como para ataque leve
image_pdfimage_print

A promessa é tentadora: oferecer o mesmo nível de qualidade por preços mais acessíveis. E mais uma força aérea parece ter adotado uma solução chinesa. A divulgação de uma imagem do presidente da Aviation Industry Corporation of China (AVIC), Luo Ronghuai, na fábrica da empresa em Hongdu acabou revelando um jato de treinamento K-8 Karakorum com as cores da Força Aérea Nacional de Angola.

Também designado JL-8, é um jato biplace de treinamento avançado, capaz de alcançar 800 km/h e realizar manobras com esforço de +7,33g e -3g. O avião também pode levar um canhão de 23 mm e até uma tonelada de armamentos, incluindo bombas de 250 kg e mísseis ar-ar PL-5 e PL-7.

Estaria Angola de olho nos produtos chineses? Não houve confirmação

O K-8 é a principal aeronave de combate da Força Aérea da Bolívia, com seis unidades. A Venezuela opera 16. Também já contam com a aeronave o Zimbábue, Zâmbia, Sudão, Sri Lanka, Namíbia, China, Paquistão, Gana, Myanmar, Bangladesh e Egito.

A Força Aérea Nacional de Angola conta atualmente com cerca de 20 caças MiG-21 Fishbed, 20 MiG-23 Flogger, 10 Su-22 Fitter, 12 Su-25 Frogfoot e seis Embraer Super Tucano. Há ainda uma encomenda total de 12 caças Sukhoi Su-30 Flanker, dos quais pelo menos dois já foram recebidos.

Garanta já a sua Edição 114 de ASAS!

Promoção Fim de Ano!

Novidade! Assine ASAS também na Versão Digital!

Parceiros