AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

OTAN reforça a defesa aérea no Báltico

Caças F-15E atuam na defesa do Báltico. Foto: Megan Beatty / USAF

Seis caças F-15E Strike Eagle da United States Air Force (USAF) foram enviados para a Estônia no dia 26 de janeiro, onde a defesa aérea atualmente está sob responsabilidade de quatro F-16 da Bélgica. Outris quatro caças F-16 da Dinamarca chegaram no dia seguinte à Lituânia para reforçar o contingente de mais quatro F-16 da Polônia já deslocados ali.

A missão de defesa aérea no Báltico é realizada desde 2004 em um rodízio de países da OTAN. Em geral, são utilizadas as bases de Šiauliai, na Lituânia, e de Ämari, na Estônia. Ocasionalmente também houve destacamentos em Malbork, na Polônia.

LEIA TAMBÉM: Portugueses vão para linha de frente da defesa aérea da OTAN

Só em 2021, Bélgica, Polônia, Portugal, Dinamarca, Turquia, Espanha e Itália participaram da atividade, sempre com caças F-16, com exceção dos italianos e espanhóis, que levaram Eurofighter Typhoon e F-35. Os contingentes não costumam passar de quatro caças e os alvos, quase sempre, são aeronaves russas voando sobre águas internacionais no Mar Báltico.

Chama a atenção dessa vez a USAF ter enviado caças F-15E Strike Eagle, com capacidade de ataque ar-solo. Em 2014, durante a Crise da Crimeia, foram enviados os F-15C, especializados em defesa aérea.

LEIA TAMBÉM: F-35 e Sukhoi se encontram pela primeira vez

NOVA EDIÇÃO DA ASAS!

USE O CUPOM: FRETE GRÁTIS

Carrinho