AVIAÇÃO COMERCIAL & PRIVADA

Sem Boeing, Embraer mira mercado nos EUA

Embraer Praetor 500 na LABACE 2019. Foto: Ariadne Barroso
image_pdfimage_print

A parceria entre a Boeing e Embraer deve envolver toda a linha de aeronaves comerciais. Mas a aviação executiva continuará 100% nas mãos da empresa brasileira, que nesta semana deu um passo significativo para avançar sua presença nos Estados Unidos.

O jato Praetor 500 recebeu a certificação da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), o que significa a liberação para ser entregue a clientes no Brasil e, como quase sempre ocorre, a proximidade da certificação nos Estados Unidos e na Europa. O jato foi praticamente desenhado para as necessidades dos clientes norte-americanos: ele pode fazer voos sem paradas de Miami a Seattle ou de Los Angeles a Nova York. Saindo da Califórnia é possível chegar a Londres ou São Paulo com apenas uma parada.

Embraer Praetor 500 na LABACE 2019. Foto: Ariadne Barroso

E faz isso rapidamente. A velocidade de cruzeiro é de 863 km/h. A eficiência da aerodinâmica e dos motores também significa poder operar de pistas pequenas, como as de Jacarepaguá ou Angra dos Reis.

Três características destacam o Praetor 500 em termos de conforto: uma cabine onde uma pessoa de 1,80m pode ficar em pé, conectividade via satélites de alta velocidade da banda Ka e sistema de pressurização mais eficiente que o encontrado na maioria das aeronaves.

Embraer Praetor 500 na LABACE 2019. Foto: Ariadne Barroso

Garanta já a sua Edição 114 de ASAS!

Promoção Fim de Ano!

Novidade! Assine ASAS também na Versão Digital!

Parceiros