AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

USAF falha na segunda tentativa de lançar míssil hipersônico, Rússia já tem a arma

Míssil AGM-183A no bombardeiro B-52 Foto: USAF
image_pdfimage_print

A segunda tentativa da United States Air Force para lançar um míssil hipersônico falhou. O AGM-183A Air-launched Rapid Response Weapon (ARRW) se separou adequadamente de um bombardeiro B-52H, mas o motor não funcionou. A tentativa frustrada aconteceu em 28 de julho em uma área marítima próxima à Califórnia.

Apesar da falha geral, os norte-americanos comemoraram o avanço. “O míssil separou-se perfeitamente da aeronave e demonstrou com sucesso a sequência completa de lançamento, incluindo aquisição de GPS, desconexão umbilical e transferência do suprimento de energia”, divulgou a USAF em seu site.

O primeiro teste, realizado em abril, também apresentou falha. Daquela vez, porém, o míssil sequer se separou do B-52H. O objetivo do Pentágono é ter um míssil hipersônico em serviço até o fim dessa década.

Kinzhal

Com a falha no teste do AGM-183 ARRW, os EUA continuam atrás na Rússia no quesito armas hipersônicas. Isso porque desde 2017 já está em produção o Kh-47M2 Kinzhal, míssil com 2.000 km de alcance e velocidade máxima declarada entre Mach 10 e 12. É público que em já em 2018 houve lançamentos bem sucedidos. O MiG-31 Fouxhound e o Tu-22M já são capazes de levar a arma, sendo que no segundo caso é possível lançar até quatro em um mesmo voo.

O Kinzhal foi desenvolvido para atingir alvos estratégicos, seja em terra ou no mar, no caso de porta-aviões. Há o plano para que o caça stealth Su-57 seja capaz, assim como o MiG-31K, de levar uma dessas armas. Já os bombardeiros Tu-22M3M podem voar com quatro unidades.

Lançamento! ASAS 119! Garanta já a sua na pré-venda!

O Voo do Impossível

Parceiros