AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

USAF treina contra caças stealth

F-35A durante a Red Flag Foto: Miranda A Loera / USAF
image_pdfimage_print

Pela primeira vez, um esquadrão de caças stealth F-35A Lightning II participou do exercício Red Flag no papel de força oponente. O treinamento durou duas semanas e foi encerrado na semana passada.

Na prática, isso significa que os esquadrões que passam pela Red Flag precisaram desenvolver técnicas para se contrapor a ameaças desse tipo. A novidade ocorre após a entrada em serviço do russo Su-57 e do chinês J-20, além de projetos como o Checkmate, todos eles caças com características stealth.

O objetivo da United States Air Force em incluir o F-35A entre os “agressores” foi ampliar as capacidades do “Red Team”, até então limitadas aos F-16C. “A força oponente aqui é uma das melhores do mundo em encontrar as falhas, encontrar lacunas e punir os erros cometidas pelo lado ‘azul’”, explicou o Coronel Scott Mills, do 57th Operations Group.

“Meu trabalho é não dar um dia fácil para as forças azuis. Meu trabalho é oferecer o dia mais difícil que eu conseguir. E a forma para eu fazer isso é trazer o F-35 para a luta, e o F-35 torna excepcionalmente difícil para s forças azuis alcançarem seus objetivos. Eles vão ter precisar utilizar toda a capacidade que têm, toda a integração que podem ter”, completou o Tenente-Coronel Chris Finkenstadt, comandante do 64th Aggressor Squadron.

Segundo a USAF, nos primeiros dias houve uma série de vitórias do time vermelho, especialmente nos dois primeiros. Só então conseguiram equilibrar mais. Porém, na segunda semana as Red Forces ampliaram a vantagem mais uma vez, ao elevar o nível de dificuldade.

Lançamento! ASAS 119! Garanta já a sua na pré-venda!

O Voo do Impossível

Parceiros