AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Argentina oferece jato para baixar preço do gás

Fabricados na Argentina, os jatos subsônicos Pampa ainda não foram exportados
image_pdfimage_print

A visita do presidente da Bolívia, Evo Morales, à 1º Brigada da Força Aérea da Argentina (FAA), em El Palomar, chamou a atenção pela oferta que teria sido feita pelo mandatário argentino, Maurício Macri, no último dia 22 de abril. A proposta seria repassar à Força Aérea da Bolívia um jato de treinamento IA-63 Pampa III em troca do cumprimento de um novo acordo de venda de gás natural.

O objetivo de Macri é garantir um fluxo de produção de aeronaves na Fábrica Argentina de Aviones SA (FAdeA) ao mesmo tempo em que obtém o gás com um desconto de aproximadamente 450 milhões de dólares ao longo de dois anos, o que ajudaria seu país a sair do cenário de forte crise econômica. A aeronave que iria “de brinde” na negociação poderia também vir a ser decisiva para uma futura venda aos bolivianos, que poderiam comprar até uma dúzia.

Maurício Macri mostrou pessoalmente os jatos IA-63 Pampa III a Evo Morales

Da parte da Bolívia, o IA-63 Pampa III iria cumprir as missões de treinamento avançado, ataque e até interceptação de aeronaves envolvidas em voos ilícitos, como em tráfico de droga e contrabando. Os Pampas poderiam complementar ou até substituir os quatro Pilatus PC-7 Turbo Trainer, prestes a completarem 40 anos de uso, e os seis jatos chineses K-8 Karakorum, em serviço desde 2011, mas com desempenho, segundo algumas fontes, abaixo do esperado.

Sobre o autor

Redação

Comentar

Clique aqui para comentar

Garanta já a sua Edição 114 de ASAS!

Promoção Fim de Ano!

Novidade! Assine ASAS também na Versão Digital!

Parceiros