AVIAÇÃO COMERCIAL & PRIVADA

Congonhas terá voos executivos internacionais da Líder

Maior empresa de aviação executiva da América Latina, a Líder Aviação se prepara para começar a operação de voos executivos internacionais no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo (SP) e, entre as novidades, estão o embarque e o desembarque exclusivos para a aviação executiva. O terminal passa por obras e a expectativa é que as instalações fiquem prontas em novembro. O aeroporto é considerado estratégico para muitas empresas estrangeiras que têm negócios no Brasil por sua proximidade com grandes centros financeiros na capital paulista.

“A reabertura do Aeroporto de Congonhas para voos executivos internacionais é um grande estímulo para atrair mais empresas para o Brasil e pode representar mais investimentos nos mais variados setores da economia, incluindo o turismo. E essa é uma porta aberta para a atração de capital estrangeiro. “Operar na capital paulista significa oferecer uma base na cidade que mais atrai negócios no Brasil”, diz a diretora de Atendimento Aeroportuário da Líder, Cynthia Oliveira.

No aeroporto, a Líder Aviação possui 6 hangares, 1 pátio de estacionamento de helicópteros, amplo estacionamento coberto com acesso direto ao hangar, salas de embarque dedicadas, salas de reunião e salas para tripulação. A empresa ainda oferece atendimento bilíngue, transporte interno nas dependências do aeroporto, serviços de catering, apoio logístico em solo, central de coordenação de voos que funciona 24/7 e atendimento personalizado à demanda de cada cliente.

“Nossas instalações são totalmente seguras e monitoradas, com ampla capacidade de atendimento a todos os tipos de aeronaves, contando ainda com a expertise da equipe de atendimento portuário, que é habituada a liderar a prestação de serviços, a exemplo dos protagonismos exercidos em grandes eventos, como Copa do Mundo, Olimpíadas, eventos de negócios, dentre outros”, afirma a diretora.

Presença nacional

Além disso, a Líder ainda é centro de manutenção de aeronaves multimarca homologado pela FAA (Federal Aviation Administration), para o caso de ser necessário algum reparo ou serviço na aeronave. Isso é mais um fator de segurança para os operadores estrangeiros. A empresa, fundada há 63 anos, tem mais de mil colaboradores e uma frota de 55 aeronaves que operam a partir de 19 bases nos principais aeroportos brasileiros. Uma delas, a do Galeão, também oferece voos internacionais. Com uma infraestrutura de 11.800 m² e hangar exclusivo, o local é um dos mais modernos FBO (Fixed Base Operator) da América Latina.

“Sabemos como o tempo é precioso e que o Rio de Janeiro é um importante destino no Brasil, tanto para viagens a negócios quanto para o turismo. E esta é mais uma solução para que a saída ou chegada dos usuários no país ganhem mais agilidade, e segurança. Todo o processo de imigração e alfândega ocorre direto do nosso hangar, que conta com uma infraestrutura diferenciada para receber aeronaves de todos os portes”, descreve Cynthia Oliveira.

No período pré-pandemia da Covid-19, a aviação executiva foi responsável por 24% de operações entre pousos e decolagens no Brasil, segundo o Anuário Brasileiro de Aviação Civil de 2020. Esse montante engloba tanto voos nacionais quanto internacionais. Desde janeiro de 2020 até setembro de 2021, que foi um período atípico devido à pandemia, foram realizados mais de 750 pousos e decolagens de voos nacionais e internacionais no hangar da empresa no RIOGaleão.

“A capacidade do hangar varia de acordo com o tamanho das aeronaves, mas conseguimos atender simultaneamente, por exemplo, 8 jatos de variados portes. Além disso, também dispomos de três salas de embarque exclusivas e outras três para reuniões, com completa privacidade. Além de estacionamento próprio para facilitar ainda mais, a mobilidade dos nossos clientes”, afirma Cynthia Oliveira.