AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Guerra na Ucrânia faz F-35 ganhar mais um cliente

Foto: Lockheed Martin

Após relutar, ser criticada por aliados, anunciar outras alternativas e reafirmar uma outra decisão, a Alemanha finalmente voltou atrás e anunciou: vai adquirir o F-35 Lightning II. O anúncio do Ministério da Defesa do país ocorre no contexto da guerra na Ucrânia e após a subida ao poder da coalizão política liderada por Olaf Scholz, que sucedeu Angela Merkel.

Até 2030, 35 F-35A devem substituir parte dos Panavia Tornado IDS em uma missão bem específica: o ataque nuclear com os armamentos desse tipo operados em conjunto pela OTAN. A Alemanha já havia anunciado que os Tornado seriam totalmente substituídos pelos Eurofighter Typhoon e F-18E/F Super Hornet, estes últimos também adequados para ataque nuclear.

A aquisição do F-35 pela Alemanha também ajudará a tornar o caça uma espécie de aeronave de combate padrão da OTAN. Reino Unido, Itália, Dinamarca, Holanda, Bélgica, Polônia e Noruega, além dos Estados Unidos, devem operar o jato. Com uma das maiores economias do planeta, a Alemanha foi publicamente cobrada por operar o jato stealth.

Não foi divulgado, até o momento, se a novidade vai alterar as compras já acertadas dos F-18 Super Hornet e Eurofighter Typhoon.

LEIA TAMBÉM:

Alemanha decide aumentar seu investimento militar

Com F-18 encomendado, Alemanha compra mais Eurofighter

Empresa critica Alemanha

NOVA EDIÇÃO DA ASAS!

USE O CUPOM: FRETE GRÁTIS

Carrinho