AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Itália é 3º país a operar F-35B embarcado

Foto: Marina Militare

Um F-35B Lightning II construído na fábrica de Cameri, na Itália, e operado pela Marina Militari pousou pela primeira vez no porta-aviões Cavour no dia 30 de julho. Assim, são agora três países que utilizam a versão STOVL (Short Take Off Vertical Landing) embarcado.

Japão e Coreia do Sul planejam também operar seus F-35B a bordo de novos navios das suas marinhas. Cingapura também deve comprar o F-35 na versão B, porém ainda não há perspectivas claras para aquisição de porta-aviões. Em paralelo, a Espanha vai precisar de um substituto para seus caças AV-8B Harrier, operados a bordo do LHD Juan Carlos I, e o F-35B se apresenta como a única opção disponível no mercado. O país, que opera o Eurofighter Typhoon na sua força aérea, contudo, ainda não revelou estar decidido pela aquisição do F-35B.

LEIA TAMBÉM: F-35B irá operar com porta-aviões de mais um país

LEIA TAMBÉM: Reino Unido testa segundo porta-aviões com F-35

No caso dos EUA, a US Navy mantém os planos de operar em pelo menos dez porta-aviões os F-35C, versão específica com decolagem por catapultas e pouso com auxílio de cabos de parada. Outros dez navios de assalto anfíbios devem operar os F-35B dos fuzileiros navais, focados em missões de ataque, mas com capacidades ar-ar mantidas.

LEIA TAMBÉM: EUA aposentam navio que operaria com os F-35B

Os britânicos terão dois novos porta-aviões com os seus F-35B, o Queen Elizabeth e o Prince of Wales. Já os italianos, que adquiriram 60 F-35A e 30 F-35B (sendo a metade destes para a Força Aérea), têm dois navios aeródromos: o Cavour e o Giuseppe Garibaldi, que em breve será substituído pelo Trieste.

LEIA TAMBÉM: F-35B pode ser solução dos EUA contra ameaça chinesa

Atualmente com aviões AV-8B Plus Harrier II, a Marinha da Itália pretende declarar a operacionalidade dos seus F-35B até 2024.