ARTE, CULTURA & LAZER

Itu (SP) receberá acervo do antigo Museu da TAM

Supermarine Spitfire no Museu Asas de um Sonho. Foto: Marco Aurélio Esparz

Fechado há oito anos, o acervo do antigo museu da TAM, o “Asas de um Sonho”, em São Carlos (SP), poderá voltar a fazer parte da rota turística de cultura aeronáutica brasileira, mas em nova casa. O artista, piloto, empresário e colecionador Marcos Amaro, filho do Comandante Rolim Amaro, fundador da TAM, planeja levar as aeronaves históricas para o Centro Cultural São Pedro, em Itu (SP).

À Revista ASAS, Marcos Amaro confirmou que parte da mostra poderá estar em exibição ainda este semestre. Terão prioridade os caças Supermarine Spitfire, Vought F4U Corsair e Messerschmitt Bf-109, da Segunda Guerra Mundial, e os Fokker 100 e Fokker 27 operados no passado pela TAM. “Estamos ainda em negociação e estudo. As demais aeronaves vão chegar aos poucos ao longo do tempo”, afirmou.

Atualmente, o acervo está em um espaço de 25 mil metros quadrados da companhia Latam, criada em 2010 a partir da fusão da TAM com a chilena LAN, pretende ocupar o espaço de 25 mil metros quadrados onde ainda hoje está o acervo do antigo museu. A ideia agora é buscar apoio da Latam para fazer a transferência do acervo. “Vamos precisar do apoio dos governos estaduais, municipais e federais. De empresas também”, acrescenta Marcos Amaro.

Acervo do museu será transferido aos poucos para a nova sede

O Centro Cultural São Pedro, em Itu (SP), um dos maiores museus privados do País, já reúne uma rica coleção de Marcos Amaro, incluindo obras de artistas como Adriana Varejão, Tarsila do Amaral, Aleijadinho, Tunga, Nuno Ramos e Jac Leirner. Em termos de aviação, está exposto ali o Cessna 140 no qual Marcos Amaro fez seu voo solo.

A Prefeitura Municipal de Itu já apoia o plano de reforçar o Centro Cultural São Pedro com o acervo do antigo museu “Asas de um Sonho”. A ideia é colocar a cidade paulista no mapa turístico. Uma das principais vantagens é a proximidade: a nova localização fica a 98 km do aeroporto de Congonhas, em São Paulo (SP), contra menos da metade dos 260 km necessários para chegar até a antiga área de exposição, em São Carlos (SP).

Prestes a celebrar o renascimento do museu, Marcos Amaro destaca o esforço como uma homenagem ao seu tio João Amaro, que foi presidente da Associação Asas de um Sonho e um grande incentivador de voltar a expor o acervo.

Sobre o autor

Humberto Leite

Comentários

  • Muito bacana os aviões voltarem para e exposição.
    Eles deveriam ir para São José dos Campos, cidade para Embraer e ITA. Concerteza teria mais haver com os aviões.
    Mas mesmo assim em ITU vai ser muito legal.

  • Que ironia… Itu tinha um aeroporto, o qual foi simplesmente fechado unilateralmente. Agora vai receber um acervo aéreo? Esquisito…

Clique aqui para comentar

NOVA EDIÇÃO DA ASAS! PRÉ-VENDA!

USE O CUPOM: FRETE GRÁTIS

Carrinho