AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Novidades nos jatos de treinamento

A Aero Vodochody é parceria da Embraer no projeto do KC-390
image_pdfimage_print

O mercado de jatos leves de treinamento e combate está se aquecendo. No dia 23, Taiwan apresentou seu T-5 Blue Magpie, desenvolvido localmente e com previsão para voar pela primeira vez em junho de 2020. A versão de treinamento básico deve substituir os AIDC T-3 até 2026, enquanto uma variante de combate vai tomar lugar dos F-5E/F Tiger II.

Novo jato de Taiwan deve preparar os futuros pilotos de F-16V

Um dia depois, na República Tcheca, a empresa Aero Vodochody apresentou publicamente pela primeira vez o protótipo do L-39NG. Neste caso já há três protótipos em voo e a certificação é esperada para 2021. Além de formar os futuros pilotos de Gripen, a aeronave também deverá ter uma versão de ataque leve.

Na Espanha, o Ejército del Aire deve investir um total de 10,8 milhões de Euros para renovar um número não revelado de treinadores C.101 Aviojet, em uso desde 1980. No inventário espanhol há 64 aeronaves dessas em operação, mas o número de células que realmente voam é desconhecido.

O C.101 ainda forma futuros aviadores de combate na Espanha

Já nos Estados Unidos, o treinador anteriormente conhecido como T-X ganhou a designação de T-7A Red Hawk, uma homenagem ao P-40 Warhawk e aos pilotos negros da Segunda Guerra Mundial que voavam aeronaves com detalhes em vermelho na cauda. Fabricado pela Boeing, o T-7A já surge com um investimento de US$ 9,2 bilhões envolvendo 351 aeronaves e 46 simuladores para substituir os T-38 Talon.

O T-7A ainda não tem encomenda de uma versão armada

Sobre o autor

Redação

Comentar

Clique aqui para comentar

Garanta já a sua Edição 114 de ASAS!

Promoção Fim de Ano!

Novidade! Assine ASAS também na Versão Digital!

Parceiros