AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Porta-helicópteros irá combater Covid-19 na Guiana Francesa

A Operação Resilience poderá se estender até a Guiana Francesa Foto: Marine Nationale
image_pdfimage_print

Com soberania nas ilhas caribenhas de Guadalupe e Martinica, além da Guiana Francesa, o governo de Paris enviou para a região o porta-helicópteros Dixmude. O objetivo é prover apoio logístico e de transporte na operação de combate à epidemia de Covid-19.

O porta-helicópteros foi ao mar no último dia 2. A bordo estão quatro aeronaves, dois times de desinfecção, mais de 170.000 mil máscaras de alta proteção, mais de um milhão de máscaras cirúrgicas e centenas de litros de álcool em gel. A embarcação também conta com um hospital a bordo com 69 leitos, sendo sete de UTI. Se necessário, mais 50 leitos podem ser instalados na área do hangar. Um grupo de infantaria está a bordo para ajudar nas tarefas de segurança.

Os porta-helicópteros podem atuar tanto para projetar poder quanto em missões humanitárias
Foto: Sébastien Chenal/Marine Nationale/Défense

A França tem três navios do tipo. O Mistral foi enviado para o Oceano Índico, onde o país também tem territórios. Já o Tonnerre foi para a Córsega, ilha francesa no Mediterrâneo.

Todos esses territórios, como a Guiana Francesa, fazem parte da França.

Foto: Enzo Lemesle/Marine Nationale/Défense

Visite a loja da Editora Rota Cultural e veja nosso acervo de
livros, edições da revista ASAS e produtos ligados à aviação!

Garanta já a sua Edição 114 de ASAS!

Promoção Fim de Ano!

Novidade! Assine ASAS também na Versão Digital!

Parceiros