AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Portugueses voltam para a linha de frente da defesa aérea da OTAN

Caça F-16 em operação na Lituânia Foto: Força Aérea Portuguesa

Quatro caças F-16AM da Força Aérea de Portugal irão operar nos próximos dois meses a partir da base aérea de Malbork, na Polônia. O objetivo é reforçar a defesa aérea na região, constantemente acionada por aeronaves provenientes, em geral, da Rússia.

Caças F-16 da Polônia, Dinamarca e Holanda devem atuar juntos durante o período. Serão cumpridas as missões de alerta e também realizados treinamentos.

Os F-16 de Portugal já estiveram duas vezes na Romênia (em 2015 e 2017) e uma na Polônia (2019). Também atuaram na Lituânia e na Islândia em 2007, 2012, 2014, 2016 e 2018. Ao todo, já foram mais de mil missões e 2.200 horas de voo para reforçar as defesas aéreas da OTAN.

Membro da OTAN mais distante fisicamente da Rússia, Portugal se aproveita dessas missões para manter sua capacidade de interceptação nos padrões dos parceiros. Porém, em novembro de 2016, dois bombardeiros russos Tupolev Tu-95 foram interceptados em espaço aéreo internacional próximo à costa portuguesa.