AVIAÇÃO COMERCIAL & PRIVADA

Reforma tributária pode ser prejudicial à aviação executiva e companhias aéreas, alerta setor

Foto: Gulfstream

A aprovação da proposta de reforma tributária na Câmara dos Deputados, nesta semana, representa uma ameaça para o setor da aviação no Brasil. É o que alertam as entidades da área, que dizem esperar uma mudança no texto no Senado Federal, onde precisará ser aprovado em dois turnos.

“Nossa estimativa é de um incremento médio de impostos a serem pagos de R$ 3 bi a R$ 3,7 bilhões por ano e para cada empresa. Esse peso é insustentável para empresas, que estão superando com resiliência a maior crise mundial já vista na aviação, e para os consumidores, que querem voar mais”, afirmou, em nota, a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR).

A entidade alerta para a possibilidade de redução de oferta de voos, da geração de empregos e do número de passageiros. “Desbalancear a matriz de transportes no Brasil pode atrasar as mais de duas décadas de trabalho árduo do poder público e das empresas pelo desenvolvimento da aviação brasileira”, alega a ABEAR.

IPVA para jatos

Há preocupação também no setor de aviação de negócios, termos defendido por operadores classificados como “aviação executiva”, pois define melhor o uso das aeronaves como ferramentas de trabalho. A proposta de reforma em tramitação prevê a cobrança de uma espécie de IPVA para todas as aeronaves de uso privativo.

USE O CUPOM: FRETE GRÁTIS

NOVA EDIÇÃO DA ASAS!

Carrinho