AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA DOS ARQUIVOS DE ASAS

Revelado porque F-117 era um “caça”

Foto: Senior-Airman-Brian-Ferguson

O F-117 sempre pareceu uma aeronave com um erro no sistema de designação do Pentágono. O “F-” é utilizado para aeronaves de combate aéreo, capazes de destruir outros aviões ou helicópteros, como o F-22, F-15, F-16 e outros, ainda que também tenham capacidades ar-superfície.

Já o F-117 parecia ser um erro, pois a primeira aeronave stealth da United States Air Force teve como missão a destruição de alvos em solo, tendo ganhado notoriedade durante a Guerra do Golfo, em 1991, quando voava sobre Bagdá para atacar fortificações estratégicas de Saddam Hussein.

Porém, agora se sabe exatamente porque o jato stealth não recebeu uma designação com as letras A, como o A-7 Corsair II ou A-6 Intruder, ou B, como o B-2 Spirit. Em entrevista para um podcast sobre aviação militar, o Major Robert “Robson” Donaldson, já na reserva, citou a “capacidade ar-ar” do F-117

O foco dos treinamentos seria destruir aviões-radar (AWACS/AEW), como o Beriev A-50. Sem ser detectado pelo radar, o F-117 se aproximaria furtivamente para abater essas aeronaves, fundamentais para a conquista da superioridade aérea. Porém, o militar da reserva não deu detalhes adicionais, como, por exemplo, se os F-117 utilizavam os mísseis AIM-9 Sidewinder, AIM-7 Sparrow ou AIM-120 AMRAAM (introduzido em serviço a partir de setembro de 1991).

Não há informações públicas de terem sido instalados trilhos para lançamentos de mísseis sob as asas dos F-117 ou no interior dos compartimentos de armas.

Visite a loja da Editora Rota Cultural e veja nosso acervo de
livros, edições da revista ASAS e produtos ligados à aviação!

Assine Asas!

Parceiros