AVIAÇÃO COMERCIAL & PRIVADA

SAA vende aeronaves e vai deixar de operar no Brasil

Airbus A340-600 da South African Airways. Foto: Ariadne Barroso

Após 50 anos voando para o Brasil, a South African Airways anunciou que encerrará o seu voo regular para o país. O último voo da rota entre Joanesburgo e São Paulo será em 29 de fevereiro deste ano. Além do Brasil, a companhia também deixará de voar para Munique, Luanda, Guangzhou e Hong Kong.

A companhia também anunciou o encerramento de algumas rotas domésticas, incluindo Durban, East London e Port Elizabeth. O fato é que a South African Airways passa por um momento turbulento desde 2011, entrando em concordata em dezembro do ano passado. A decisão de encerrar esses voos parte do processo de reestruturação da companhia, plano elaborado em conjunto com governo, credores e gerência da empresa.

Venda de aeronaves

Outra parte do plano é a venda de parte da sua frota de Airbus A340-300 e -600. Segundo a empresa, em comunicado oficial, foram vendidos nove A340, 15 motores de aeronave e quatro APUs. Ao menos três do modelo -600 já passaram pelo Aeroporto de Guarulhos para reabastecimento antes de prosseguirem ao seu derradeiro destino, San Bernardino, na Califórnia, EUA.

Airbus A340-600 da South African Airways. Foto: Ariadne Barroso

Seguindo a tendência mundial, parte da frota vem sendo substituída pelos modernos Airbus A350-900. O primeiro voo foi realizado em 21 de janeiro, entre as cidades de Cape Town e Nova Iorque.

“A introdução dos A350 contribuirá para nossa eficiência operacional e redução de custos e faz parte do programa de renovação de frota em andamento. Por exemplo, com os A350 reduziremos nossos custos operacionais e economizaremos nosso consumo de combustível em 25% e também reduziremos nossos custos de manutenção em 40% durante um período de cinco anos”, declarou na época Zuks Ramasia, CEO da SAA.

Reestruturação

“As iniciativas que estamos tomando agora fortalecerão os negócios da SAA. Acreditamos que isso deva garantir aos nossos clientes fiéis que a SAA está se movendo na direção certa. Estamos focados em nosso mandato de restaurar a saúde comercial da SAA e criar uma companhia aérea da qual os sul-africanos se orgulhem”, comentaram os BRPs em comunicado oficial divulgado à imprensa.

As alterações nas rotas não afetarão os voos agendados ao longo de todo o mês de fevereiro. Todos os clientes reservados em rotas internacionais e regionais canceladas receberão um reembolso total. Os clientes reservados em voos domésticos cancelados serão recolocados nos serviços operados pela Mango, empresa do grupo que opera voos domésticos.

Visite a loja da Editora Rota Cultural e veja nosso acervo de
livros, edições da revista ASAS e produtos ligados à aviação!

Sobre o autor

Redação

Comentar

Clique aqui para comentar