Sem categoria

Solução aerodinâmica do 14 Bis está no novo caça da FAB

image_pdfimage_print

Qual o formato básico de um avião?
Um charuto com asas mais ou menos no centro e uma pequena asa no fim, usada como estabilizador.

Foto: Rafael Luiz / Wikicommons

Mas o 14 Bis tinha um jeitão diferente. Vendo fotografias, há até quem ache que o avião voava “para trás”: a asa principal está na parte traseira da aeronave e só lá na frente está o estabilizador.

O formato da aeronave fez os franceses criarem um apelido rapidamente: “canard”, isto é, “pato”. O nome canard acabaria designando esse estabilizador localizado na parte frontal.

Hoje, 23 de outubro de 2019, quando se comemoram 113 anos do voo pioneiro de Santos Dumont, a Força Aérea Brasileira aguarda a chegada do seu novo caça Gripen. E qual o formato da aeronave de combate do século XXI?

Uma grande asa na porção traseira… …e um canard na frente, tal qual o invento do brasileiro mais de um século atrás!

O Gripen tem como configuração aerodinâmica uma sala em delta e canards de grandes dimensões

Canards
A tecnologia do canard esteve presente em vários projetos aeronáuticos pioneiros, mas logo foi abandonada por exigir muito dos projetistas. O próprio Demoiselle, aeronave muito utilizada por Santos Dumont em Paris, com voo muito mais suave e estável que o 14 Bis, já tinha um desenho diferente.

O demoiselle de Santos Dumont

Alguns projetos chegaram a incluir o canard, porém seu retorno efetivo aos céus só aconteceu com aeronaves militares mais modernas. Em 1967, o Saab 37 Viggen, caça sueco “avô” do Gripen”, se tornaria o primeiro jato militar a ser fabricado em larga escala com canards.

JA-37 Viggen

O canard surgiu como uma opção adequada para as aeronaves de asas em delta, geralmente em busca da capacidade de ganhar altitude rapidamente. Outra vantagem é auxiliar a reduzir as distâncias de pouso e de decolagem. Em alguns casos, como no Gripen, os canards são usados até como freios aerodinâmicos.

Assim as versões modernizadas do Mirage francês, incluindo a variante israelense Kfir, apresentaram canards. O mais moderno caça francês, o Rafale, já os têm desde a primeira versão. O mesmo com o hispano-anglo-germano-italiano Eurofighter Typhoon. As versões mais modernas dos russos Sukhoi Flanker também trazem a inovação.

O caça francês Rafale
Eurofighter Typhoon da Royal Air Force

Hoje, os canards são controlados por computador e atuam para aumentar a manobrabilidade dos caças. Alguns modelos de aviação civil também trazem canards, porém eles estão marcados na história da aviação como característica de aeronaves de combate, e também no pioneiro 14 Bis.

Confira no vídeo abaixo o Gripen utilizar seus canards durante o pouso tanto para controlar sua descida quanto, logo após tocar o solo, como freios aerodinâmicos. Isso permite que o caça opere em pistas de pequenas dimensões:

Sobre o autor

Redação

Comentar

Clique aqui para comentar

Garanta já a sua Edição 114 de ASAS!

Promoção Fim de Ano!

Novidade! Assine ASAS também na Versão Digital!

Parceiros