ESPAÇO

Brasil vai ingressar em programa dos EUA para voltar à Lua

O programa Artemis deve contar com forte participação da iniciativa privada, como da SpaceX, que apresentou o conceito da cápsula Starship HLS
image_pdfimage_print

O Brasil vai ser parceiro dos Estados Unidos no novo programa de exploração da Lua. A assinatura do chamado Acordo Artemis acontece amanhã (dia 15) no Palácio do Planalto.

O programa da Agência Espacial Americana (NASA, na sigla em inglês) pretende levar a primeira mulher e o próximo homem à superfície lunar em 2024 enquanto desenvolve as tecnologias e experiência para organizar uma missão humana a Marte.

A iniciativa conta com colaboração de parceiros comerciais e internacionais e prevê duas missões antes do pouso na superfície da Lua. O programa Artemis também tem como objetivo estabelecer a exploração sustentável da superfície lunar.

A articulação para o acordo ocorria há meses, ainda com Donald Trump na Casa Branca. O convite inicial aconteceu em outubro, durante visita do então conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos, Robert O’Brien. Em dezembro, o Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, assinou a Declaração Conjunta de Intenções com a NASA.

A expectativa é a de que o Brasil participe no desenvolvimento de tecnologias, como a de um veículo de exploração lunar. Até o momento, o programa Artemis envolvia a participação dos EUA, Austrália, Canadá, Itália, Japão, Luxemburgo, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido e Ucrânia.

Visite a loja da Editora Rota Cultural e veja nosso acervo de
livros, edições da revista ASAS e produtos ligados à aviação!

Lançamento! ASAS 118! Garanta já a sua na pré-venda!

O Voo do Impossível

Parceiros