AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA ESPAÇO

FAB quer impulsionar parceria com a United States Space Force

Foto: Major Narciso / CLBI
image_pdfimage_print

A Força Aérea Brasileira quer impulsionar sua parceria com a United States Space Force (USSF), nova força armada dos Estados Unidos. Para isso, investe nas atividades e aquisição de dados orbitais para colaborar na rede de vigilância do espaço (Space Surveillance Network – SSN).

No dia 5 de maio, o radar BEARN do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI) foi usado para rastrear o objeto espacial ATLAS 2AS CENTAUR R/B. Foi o início das atividades em busca da chamada Consciência Situacional do Domínio Espacial (Space Domain Awareness – SDA), uma nova fase em relação às capacidades da FAB no setor espacial. O conceito SDA passa a considerar o espaço como um campo de batalha, assim como o mar, a terra e o ar. Anteriormente havia apenas na detecção, rastreamento e identificação de objetos artificiais na órbita da Terra.

LEIA TAMBÉM: EUA ganham sexta força militar: a USSF

LEIA TAMBÉM: Após 86 anos, França muda sua força aérea

De acordo com o comunicado publicado pela FAB, a continuidade dos testes possibilitará a inclusão do Brasil em um cenário internacional de extrema importância estratégica. “A atividade de SSA, de monitoramento espacial, é fundamental para as operações espaciais, sejam elas defensivas ou ofensivas”, destacou o Chefe do Centro de Operações Espaciais (COPE), Brigadeiro Luciano Valentim Rechiuti.

Segundo o Diretor do CLBI, Coronel Bruno Cesar Janhsen, dadas as características dos objetos rastreados e dos meios operacionais, a complexidade da operação tornou-se um grande desafio para os operadores. O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) irá realizar a mesma missão.

“Uma vez sistematizadas as operações de SSA por meio do emprego dos radares do CLA e do CLBI, estaremos não só otimizando o emprego desses radares, que atualmente são utilizados somente em operações de lançamento de veículos espaciais, como também passaremos a ter uma participação ativa na comunidade espacial internacional de SSA. Ou seja, deixaremos de ser apenas usuários e passaremos a ser também provedores de informação de SSA para essa comunidade”, disse o Chefe do COPE.

Lançamento! ASAS 119! Garanta já a sua na pré-venda!

O Voo do Impossível

Parceiros