Sem categoria

Paquistão faz acordo militar com o Brasil

Ministro brasileiro e embaixador paquistanês celebram acordo. Foto: Ministério da Defesa

Em meio a tensões com a Índia, tendo inclusive expulsado o embaixador do país vizinho, o Paquistão assinou nesta semana um memorando de entendimento sobre cooperação no domínio da defesa com o Brasil. O documento foi assinado em Brasília pelo Ministro da Defesa brasileiro, Fernando Azevedo, e o embaixador do Paquistão no Brasil, Najm Saqi.

De acordo com o comunicado do Ministério da Defesa do Brasil, “o acordo aprimora e fortalece a relação bilateral existente, por meio do apoio na área da defesa e promoção de atividades cooperativas entre os dois países. O documento descreve a cooperação em áreas como visitas mútuas de delegações de alto nível da defesa, reuniões entre as instituições de defesa equivalentes, instrução e treinamento militar, aquisição de produtos e serviços de defesa, iniciativas relacionadas à indústria, além de intercâmbio de conhecimentos nos campos do Direito Internacional Humanitário e de Operações de Manutenção de Paz das Nações Unidas.

O JF-17 tem sido oferecido como uma opção de caça de baixo custo inclusive para países ocidentais

Entre 2011 e 2013, o Paquistão chegou a demonstrar interesse em adquirir 100 unidades do míssil brasileiro MAR-1, criado para destruir radares. A intenção era de que a arma fosse utilizada pelos caças JF-17 Thunder, porém o desenvolvimento da arma foi suspenso por iniciativa da empresa Mectron, parte do grupo Odebrecht. Por outro lado, o Paquistão trabalha para tentar exportar seu caça de fabricação local, desenvolvido em parceria com a China.

Em fevereiro, após atritos na região de fronteira com a Índia, a Força Aérea do Paquistão chegou a anunciar que um JF-17 abateu um MiG-21 e um Su-30 indianos em apenas 50 segundos. A versão não é confirmada pela imprensa internacional, mas um JF-17 ostenta a pintura típica de abate de uma aeronave, sendo apresentada a silhueta de um Su-30.

A assinatura do memorando com o Brasil aconteceu no dia 5 de agosto, segunda-feira, na mesma semana em que o país anunciou a suspensão do comércio com a Índia. Os dois países disputam a soberania da região da Caxemira.

Enquanto isso, no Brasil, o embaixador Najm Saqi disse que o memorando “vai criar as bases de uma nova era de relação na área de cooperação e de defesa entre o Brasil e o Paquistão”. Já o Ministro Fernando Azevedo ressaltou a satisfação em receber o embaixador, que representou o Ministério da Defesa do Paquistão. “Quando eu ocupava a função de chefe do Estado Maior do Exército, fizemos questão de enviar dois oficiais ao Paquistão, esse país amigo. É uma satisfação recebê-lo e estamos à disposição”, enfatizou o ministro brasileiro.

Foto: Ministério da Defesa

Estiveram presentes no encontro o chefe de Assuntos Estratégico, Almirante de Esquadra Cláudio Portugal de Viveiros, o Chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, Tenente-Brigadeiro do Ar Raul Botelho, o assessor do Ministro da Defesa Major Brigadeiro do Ar Ricardo Reis Tavares e o de Assuntos Internacionais, Contra-Almirante Guilherme da Silva Costa.

Sobre o autor

Redação

Comentar

Clique aqui para comentar