AVIAÇÃO COMERCIAL & PRIVADA

“Entusiasmo e satisfação”: a volta do 737 Max da Gol

image_pdfimage_print

A partir de hoje, 9 de dezembro de 2020, clientes da empresa brasileira Gol Linhas Aéreas poderão viajar novamente a bordo de aeronaves 737 Max, modelo que passou 20 meses proibido de voar. A Gol se torna, assim, a primeira empresa do mundo a voltar a utilizar o Boeing 737 Max comercialmente, e fez o anúncio com “entusiasmo” e “satisfação”. Ao contrário do especulado, a empresa não adotou uma estratégia de “esconder” as aeronaves sob um novo nome: pelo contrário, promove em suas redes sociais a hashtag #RetomadaMax.

Não é para menos. O 737 Max é estratégico para a Gol. Os avanços tecnológicos nos motores, asas e superfícies de comando aumentam proporcionam um alcance cerca de 1.000 quilômetros a mais que os modelos anteriores, da geração 737NG. Com o 737 Max, a Gol pode ampliar suas rotas internacionais sem precisar adotar um novo tipo de aeronave, de maior porte, mantendo a vantagem de ter uma frota padronizada de jatos da família 737.

A companhia chegou a voar jatos 737 Max entre junho de 2018 e março de 2019, quando dois acidentes, na Ásia e na África, levaram à suspensão global das operações. Por aqui, a Gol só tinha notícias positivas: foram 2.933 voos, totalizando 12.700 horas, sem qualquer ocorrência. Mesmo assim, a empresa brasileira precisou parar suas aeronaves, implantar as modificações necessárias e treinar 140 tripulantes nos Estados Unidos.

A expectativa da empresa é de que todas as sete aeronaves Boeing 737 MAX que estão na atual frota da Gol estejam totalmente na atividade regular ainda em 2020. As rotas serão definidas de acordo com as necessidades da operação. Ao todo, até agora a empresa brasileira já encomendou 101 aeronaves 737 Max. Outras 14 já estão prontas na fábrica da Boeing nos Estados Unidos. Algumas delas podem ser entregues antes do fim do ano.

Das 101 unidades de 737 Max já encomendadas pela Gol, 30 serão da versão Max 10, para até 230 passageiros. Serão as maiores aeronaves a serem operadas pela Gol e os maiores 737 já criados até hoje.

Visite a loja da Editora Rota Cultural e veja nosso acervo de
livros, edições da revista ASAS e produtos ligados à aviação!

Sobre o autor

Humberto Leite

Comentário

  • Coitado dos pilotos que terão que encarar esta “bomba” voadora, imagino que muitos passageiros irão preferir voar em outras companhias a encarar um voo de Max com suas famílias!!

Clique aqui para comentar

Lançamento! ASAS 118! Garanta já a sua na pré-venda!

O Voo do Impossível

Parceiros