AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

F-16 ganha mais um cliente, será o 28º país

O F-16V é a mais nova versão oferecida pela Lockheed Martin, com destaque para radar AESA e novos sistemas embarcados Foto: Lockheed

O F-16 não para. Com mais de 4.600 unidades já fabricadas, o caça da Lockheed Martin acaba de conquistar seu 28º país: a Bulgária. As entregas começam em 2023.

O país do leste europeu vai substituir dúzia de caças MiG-29 por oito F-16 da versão mais moderna, Block 70. A venda acontece após uma série de debates políticos que se arrasta desde 1989, envolvendo desde a recusa do país, agora membro da OTAN, em contratar uma empresa russa para modernizar seus MiG-29 até o fato de o Gripen ter sido oficialmente selecionado como a melhor opção para o país.

LEIA MAIS: O F-35 vai vender tanto quanto o F-16?

Agora, o contrato assinado envolve o governo dos Estados Unidos, via o programa Foreign Military Sales (FMS). O preço divulgado pelas oito aeronaves, 512 milhões de dólares, depois revelou-se incompleto, pois não envolve os motores, o armamento e o equipamento de apoio.

De todo modo, a Bulgária vai se tornar mais um operador do caça norte-americano, hoje em serviço com Bahrai, Bélgica, Cingapura, Chile, Coreia do Sul, Dinamarca, Egito, Emirados Árabes Unidos, Estados Unidos, Grécia, Holanda, Israel, Indonésia, Iraque, Jordânia, Marrocos, Noruega, Oman, Paquistão, Polônia, Portugal, Romênia, Tailândia, Turquia, Taiwan e Venezuela. A Itália também operou o F-16 entre 2001 e 2012, enquanto esperava a chegada dos seus caças Eurofighter Typhoon.

Visite a loja da Editora Rota Cultural e veja nosso acervo de
livros, edições da revista ASAS e produtos ligados à aviação!

Sobre o autor

Redação

Comentários

Clique aqui para comentar

Assine Asas!

Parceiros