AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Treinador tcheco ainda tem mercado

Foto: Adrian Pingstone

Desenvolvido nos anos 60, o treinador tcheco L-39 Albatros ainda tem mercado no século XXI. A empresa Aero Vodochody completou a entrega de seis unidades completamente reconstruídas e modernizadas para a Força Aérea do Uzbequistão, que utiliza os utiliza para formar pilotos que na primeira linha voam caças Su-25, Su-27 e MiG-29.

A modernização dos L-39 permitiu trocar equipamentos da era soviética por aviônicos mais modernos, como suíte de navegação da Garmin e sistemas de comunicação recém-desenvolvidos na República Tcheca, atualmente um país-membro da OTAN. O trabalho foi encarado pela Aero Vodochody como uma verdadeira oportunidade para mostrar a outros usuários do L-39 a possibilidade de atualizar esses jatos, criados na época da antiga Tchecoeslováquia.

É ampla a lista de países que ainda operam o L-39, a maioria países que até nos 80 estavam sob a influência política do bloco comunista. Hoje, porém, até empresas privadas utilizam o L-39 para voos experimentais, de demonstração e até de treinamento avançado terceirizado.

A Aero Vodochody também desenvolve atualmente o L-39NG e o caça leve de ataque F/A-259 Striker, sucessor do L-159 Alca. A empresa também se tornou parceira da Embraer no desenvolvimento do KC-390.