AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Brasil quer elevar compra de Gripen de 36 para 50 unidades, diz jornal

A encomenda de caças F-39 Gripen da Força Aérea Brasileira poderá ser ampliada para 50 aeronaves. Isso seria possível sem a necessidade de um novo processo seletivo nem assinatura de mais um contrato, uma vez que a legislação brasileira permite a ampliação de acordos já firmados em 25%. O cálculo aproximado significa a compra de mais 14 jatos, a uma média de preço unitário menor que o lote inicialmente previsto.

A informação foi publicada hoje, 27 de setembro, pelo jornal Folha de São Paulo. De acordo com a reportagem do jornalista Igor Gielow, o tema está em debate no Ministério da Defesa e ainda não foi apresentado aos suecos. O texto informa ainda que o Ministro da Defesa, José Múcio, irá à Estocolmo ainda este mês. Na agenda, estaria também discussões para a venda do KC-390.

No ano passado, o então Comandante da Força Aérea Brasileira, Tenente-Brigadeiro Carlos de Almeida Baptista Júnior, havia informado à Folha de São Paulo o interesse de chegar a 66 aeronaves, o que levaria obrigatoriamente à assinatura de um novo contrato. Em 2023, em entrevista exclusiva à Revista Asas, o novo Comandante, Tenente-Brigadeiro Marcelo Kanitz Damasceno, informou não haver ainda um número total definido.

De todo modo, além da eventual ampliação do contrato vigente, o Governo Federal pode fazer assinaturas de novos contratos. Uma das principais vantagens apontadas em todas as negociações é o fato de o Brasil já contar com uma linha de montagem de caças Gripen no território nacional. A aquisição de mais lotes é decisiva para a substituição, ainda nesta década, dos jatos F-5 e, posteriormente, dos A-1.

Uma possível venda do KC-390 para a Suécia é, tanto economicamente quanto politicamente, outro fator decisivo para a ampliação da compra de caças Gripen pelo Brasil.

LEIA TAMBÉM:

Caças Gripen terão sistema estratégico 100% brasileiro

Lula vai inaugurar linha de montagem de caças Gripen no Brasil

Componentes do Gripen fabricados no Brasil poderão ser usados por outros países

FAB estuda ter mais de uma base com caças F-39 Gripen

A Aviação de Caça da FAB até o F-39 Gripen – Live com Camazano

FAB investiga ocorrência com caça F-5

Sobre o autor

Redação

Comentário

  • Muito bem. Trata-se de um aumento de 40 para 50 em um aditivo ao contrato atual e não uma redução de 66 para 50 no total de aeronaves, como alguns têm publicado por aí.

Clique aqui para comentar

NOVA EDIÇÃO DA ASAS!

USE O CUPOM: FRETE GRÁTIS

Carrinho