AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Chile realiza treinamento em região estratégica da América do Sul

F-5 Tiger III do Chile e navio da armada do país. Foto: FACh

Principal passagem marítima natural entre os oceanos Atlântico e Pacífico, o estreito de Magalhães foi palco nos últimos dias de uma demonstração da capacidade das forças armadas do Chile de garantir a soberania na área. Caças F-5E Tiger III atuaram em parceria com navios da Armada Chilena com foco na interoperabilidade entre os meios aéreos e navais.

De acordo com o comunicado oficial da Fuerza Aérea de Chile (FACh), o treinamento teve como foco avaliar a capacitação dos tripulantes e ampliar a integração com a armada. Modernizados nos anos 90 pela empresa israelense IAI, os caças operam com o Grupo de Aviación N.º 12, baseado em Punta Arenas, no extremo sul do território chileno. Vale notar que a FACh fez um ensaio fotográfico para divulgar o exercício e ressaltou se tratar de uma atividade recorrente.

Fragatas chilenas também se destacam pelo sistema de defesa antiaérea. Foto: FACh

Historicamente, a região é considerada estratégica por reunir parte significativa do tráfego naval entre a porção leste do continente americano e a Ásia, além de ser passagem obrigatória para os navios grandes demais para o canal do Panamá. Em 1978, Argentina e Chile quase entram em confronto por conta de disputas territoriais por ali.

A disputa regional, porém, acabou arrefecida a partir da década de 90, com o desmantelamento da presença militar argentina na região. Ainda assim, o país vizinho voltou à área recentemente, com instalação de radares e promessas de retorno de aeronaves de combate para operarem por ali.

LEIA TAMBÉM:

Argentina reforça defesa do espaço aéreo na fronteira sul

F-5 completa 45 anos de serviço no Chile

Argentina quer voltar a operar P-3

Chile recebe E-3 D AWACS (dado de graça pelo Reino Unido)

Futuros Sentry do Chile já chegam com mais de 30 anos de serviço

NOVA EDIÇÃO DA ASAS!

USE O CUPOM: FRETE GRÁTIS

Carrinho