AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Em sinal para China, EUA terão base para B-52 na Austrália

A China terá que conviver com a ameaça dos bombardeiros B-52 dos Estados Unidos mais próximo de casa. Até 2026, a United States Air Force terá uma base de desdobramento dessas aeronaves na Base Aérea de Tindal, a 300 km da cidade de Darwin, no norte da Austrália.

Os Estados Unidos devem investir cerca de 100 milhões de dólares para construir toda a infraestrutura necessária para manter operações de até seis B-52 na localidade. Além de melhorias na pista e construção de hangares para manutenção, haverá depósitos para combustível e armamentos reais.

A Base Aérea de Tindal, na Austrália, é sede de um esquadrão de caças F-35 da Royal Australian Air Force

A USAF já tem a capacidade de manter bombardeiros B-52 em operação na ilha de Guam, porém é necessário um esforço logístico maior, sobretudo pelo combustível. De todo modo, da Austrália também é possível manter a China sob o alcance das aeronaves e suas armas.

A Base Aérea de Tindal também terá melhor capacidade para receber reabastecedores e caças. Para isso, serão construídos prédios para hospedar esquadrões inteiros. Outros bombardeiros, como o B-2 e o futuro B-21, são esperados por lá nos próximos anos.

LEIA TAMBÉM:

B-52 mais novo da USAF completa 60 anos e frota será modernizada

B-52 lança míssil hipersônico com sucesso (após 3 fracassos)

Bombardeiros B-52 estiveram na América do Sul em novembro

B-52 recebe arma para ataque sem danos colaterais

EUA vão revelar novo bombardeiro estratégico no dia 2 dezembro

NOVA EDIÇÃO DA ASAS!

USE O CUPOM: FRETE GRÁTIS

Carrinho