AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Entregas do F-35 são suspensas após encontrarem componente chinês no jato

Caça F-35 da USAF. Foto: Nicolas Myers / USAF

O Pentágono decidiu suspender temporariamente o recebimento de novos caças F-35, fabricados pela Lockheed Martin, após constatar a presença de um componente de origem chinesa. Trata-se de item magnético que faz parte de um sistema de bombeamento da unidade de força elétrica auxiliar. As operações dos caças já recebidos continuam normalmente.

O porta-voz do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, Russell Goemaere, garantiu que o componente não transmite dados, não compromete a qualidade ou performance dos jatos e não oferece riscos, porém vai contra as regras do governo dos Estados Unidos para o fornecimento de material militar. É proibido ter qualquer item produzido na China, Irã, Coreia do Norte ou Rússia.

O caso é tratado como uma violação dos termos contratuais, e foi revelado pelo jornal econômico Bloomberg. O problema estaria na contratação de fornecedores que, por sua vez, contrataram outros fornecedores. Agora, as empresas devem garantir a substituição do item para prosseguir com as entregas.

Até o momento, o F-35 já está em serviço nos Estados Unidos (variantes A, B e C), Itália (A e B), Japão (A e B), Coreia do Sul (A e B), Austrália (A), Bélgica (A), Dinamarca (A), Países Baixos (A), Noruega (A), Reino Unido (B) e Israel (I). Finlândia, Polônia e Cingapura aguardam recebimento. Suíça, Canadá, República Tcheca, Grécia, Espanha, Alemanha e Emirados Árabes Unidos estão em fase avançada de negociações.

LEIA TAMBÉM:

Helicóptero da Airbus seria “muito chinês” para o Reino Unido

120 mil suíços aderem a abaixo-assinado contra a compra do F-35

Divulgado preço do F-35 para a Alemanha

República Tcheca vai trocar Gripen por F-35

FAB descarta F-35 e quer mais F-39 Gripen

NOVA EDIÇÃO DA ASAS!

USE O CUPOM: FRETE GRÁTIS

Carrinho