AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Rússia anuncia início da produção do Checkmate para 2027

A produção em série do caça russo Checkmate deve ser ser iniciada em 2027, anunciou esta semana o CEO da Rostec, Sergei Chemezov. Até agora, um único protótipo foi construído. A nova data representa um atraso de um ano frente ao cronograma apresentado em 2021.

Enquanto o Su-57 desponta como futuro caça da linha de frente da Rússia, o Checkmate foi apresentado como um produto viável para países não alinhados com os Estados Unidos ou mesmo que busquem um caça stealth de custo mais baixo. As aeronaves devem compartilhar o modelo de motor e sistemas eletrônicos.

A aeronave deve contar com toda a suíte tecnológica presente nos mais modernos caças da MiG e da Sukhoi, como o Su-35 e o MiG-35, que fazem parte do conglomerado UAC. Isso inclui sistemas de guerra eletrônica, sensor eletro-ótico, sistema laser de autodefesa e radar AESA. O sistema de armas poderá atacar até seis alvos simultaneamente, seja no ar, no mar ou em terra. Há destaque também para o uso de comandos por voz e da presença de um único visor de grandes dimensões com apresentação dinâmica, uma tecnologia disponível nos F-39 da Força Aérea Brasileira.

A suíte de armamentos atualmente prevista inclui os mísseis antisuperfície Kh-38MLE, mísseis antirradar Kh-58UShkE, bombas guiadas KAB-250LG-E e K029BE, mísseis de cruzeiro GROM, mísseis ar-ar Vympel R-73/74 e R-77M, míssil antinavio Kh-59MK e foguetes não guiados. A carga bélica deve chegar a 7.400 kg.

A expectativa é vender 300 unidades nos próximos 15 anos, com foco em nações do Oriente Médio, América Latina e Sudeste Asiático. A promessa é alta. Por um lado, o Checkmate deve ser capaz de combater os atuais projetos de quinta geração (F-22, F-35, Su-57, J-20) e enfrentar de igual para igual os sistemas de sexta geração (como o europeu FCAS e o norte-americano F/A-XX). Por outro, a empresa fala em oferecer o caça a um preço até sete vezes menor que o atualmente cobrado pelo F-35.