AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

F-35 ganha contrato com base no custo-benefício

F-35 em voo com F-18 da Força Aérea da Finlândia durante testes do caça Foto: Força Aérea da Finlândia

O F-35 Lightning II não é um caça barato de comprar nem de operar. Porém, foi exatamente a questão do custo-benefício que o tornou o vencedor da concorrência da Finlândia para a aquisição de 64 caças, deixando para trás o F-18 Super Hornet, o Dassault Rafale, o Eurofighter Typhoon e o Saab Gripen.

Em uma transmissão no youtube, o ministro da defesa da Finlândia, Antti Kaikkonen, revelou os detalhes da escolha. De fato, a capacidade militar, a segurança da cadeia logística, a cooperação industrial e o bom relacionamento com o fabricante foi um fator comum aos concorrentes, mas o F-35 se beneficiou da análise para o futuro.

Segundo os finlandeses, o caça norte-americano tem desempenho superior quando empregado em missões de reconhecimento e de inteligência. Também foi avaliada a possibilidade de o projeto evoluir nas próximas décadas. A capacidade de sobreviver a um ambiente hostil também fez diferença, boa parte disso sendo decorrente do fato de ter sido o único concorrente com características stealth. Surpreende que, segundo a Finlândia, a proposta do F-35 apresentou o menor custo de aquisição.

A expectativa é a de que os primeiros F-35 cheguem à Finlândia em paralelo à aposentadoria dos 62 F-18C/D Hornet hoje em serviço, por volta de 2026. A frota de 64 unidades deve estar completa já em 2030.

LEIA TAMBÉM:

Gripen, F-35, F-18, Rafale e Typhoon: quem vencerá na Finlândia?!

F-35 mostra problemas na competição finlandesa

O F-35 vai vender como o F-16?

Sobre o autor

Humberto Leite

Comentar

Clique aqui para comentar