AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Forças especiais do Brasil e dos EUA realizam exercício aeromóvel na Amazônia

Exercício CORE 23, do Brasil e EUA. Foto: Exército Brasileiro

Onze helicópteros da Aviação do Exército são utilizados desde a semana passada no exercício CORE 23 (Combined Operations and Rotation Exercises), realizado em parceria com o US Army. As atividades se desenvolvem a partir das cidades de Belém (PA), Macapá (AP), Ferreira Gomes (AP) e Oiapoque (AP) até a próxima quinta-feira, dia 16.

Na quarta-feira, a força de onze aeronaves Black Hawk, Cougar, Jaguar, Pantera K2 e Fennec decolou com 310 militares das tropas dos dois exércitos. Ao longo de toda a manhã, foram realizadas seis levas de voos com os militares.

Exercício CORE 23, do Brasil e EUA. Foto: Exército Brasileiro

O objetivo do assalto aeromóvel foi infiltrar as tropas pelo ar, para que os militares pudessem conquistar um local estratégico dentro de território inimigo em guerra simulada. As aeronaves decolaram do Aeródromo Salomão Alcolumbre, na comunidade do Curiaú, em Macapá (AP), e desembarcaram as tropas na região de Ferreira Gomes (AP), onde a guerra simulada segue ocorrendo.

No dia anterior, vinte e um militares das forças especiais e precursores paraquedistas do Brasil e dos Estados Unidos realizaram uma infiltração por salto livre operacional a partir de uma altitude de 10 mil pés. Já em terra, na Zona de Desembarque Selva, os militares percorreram cerca de 14 quilômetros em território inimigo simulado.

Exercício CORE 23, do Brasil e EUA. Foto: Exército Brasileiro

A missão da tropa de forças especiais foi fazer o reconhecimento especializado dos objetivos a serem conquistados. Já o destacamento de precursores paraquedistas teve como foco o balizamento da zona de aterragem, além do reconhecimento da área para posterior auxílio na reorganização da tropa que realizaria um assalto aeromóvel.

Os helicópteros também realizaram o transporte de carga externa, deslocando dois obuseiros até um local estratégico, onde parte da tropa aguardava receber o armamento. Cada obuseiro transportado pesa mais de 1.200 quilos. 

Exercício CORE 23, do Brasil e EUA. Foto: Exército Brasileiro

LEIA TAMBÉM:

Embraer, FAB e Exército testam novo radar na Amazônia

FAB, Aviação Naval e Aviação do Exército ampliam as capacidades para operações noturnas

Exército Brasileiro recebe novos radares da Embraer

Primeira Flecha: Exército faz exercício de artilharia antiaérea

Exército Brasileiro se prepara para exercício conjunto com os EUA

Exército estuda nova base de aviação na Amazônia

NOVA EDIÇÃO DA ASAS! PRÉ-VENDA!

USE O CUPOM: FRETE GRÁTIS

Carrinho