AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

FAB reforça defesa aérea em terra yanomami

Foto: Johnson Barros / Força Aérea Brasileira

Aviões A-29 Super Tucano, E-99 e R-99 da Força Aérea Brasileira passaram a ser utilizados para a Operação Escudo Yanomami, com objetivo de incrementar a capacidade de defesa aérea em uma área que compreende a Terra Indígena Yanomami e adjacências, contribuindo para o combate ao garimpo ilegal em Roraima. A FAB já atuava, desde o início do ano, na missão humanitária, por conta do estado de saúde das comunidades locais, classificada como de emergência.

Desde as 00h desta quarta-feira (1º de fevereiro), foi estabelecida uma Zona de Identificação de Defesa Aérea (ZIDA) no espaço aéreo da região norte do país. Há uma área reservada (Área Branca), uma área restrita (Área Amarela) e uma área proibida (Área Vermelha), onde omente as aeronaves envolvidas na Operação Escudo Yanomami 2023 serão autorizadas. Quem descumprir as regras estará sujeito às Medidas de Policiamento do Espaço Aéreo (MPEA), que podem incluir a interceptação.

A Força Aérea Brasileira planeja, ainda, a instalação de um radar modelo TPS-B34, que pode ser aerotransportado de Santa Maria (RS), com o objetivo de aumentar a capacidade de defesa aérea, reforçando assim, o poder de detecção e controle. As aeronaves E-99 e R-99 já estão na região e foi reforçado o alerta de defesa aérea de Boa Vista, com os A-29.

LEIA TAMBÉM:

Crise humanitária no Norte do Brasil destaca capacidade operacional da FAB

FAB leva alimentos e vai montar hospital de campanha em terra indígena

FAB, PF e polícias de SP fazem apreensão de drogas em aeronave interceptada

Ex-Comandante da Aeronáutica ressalta FAB como instituição de Estado

Menos um! Dupla A-29 e E-99 tira mais um avião ilícito da Amazônia

USE O CUPOM: FRETE GRÁTIS

NOVA EDIÇÃO DA ASAS!

Carrinho