AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Ucranianos treinam em caças Mirage 2000 na França, autoridades negam

Mirage 2000D Foto: Rob Schleiffert

De 20 a 30 militares da Ucrânia, entre pilotos, técnicos e mecânicos, estão na França para aprender detalhes da operação de caças Mirage 2000. O contingente estaria há mais de um mês atuando em sigilo a partir da base aérea de Nancy-Ochei com foco no domínio do Mirage 2000D, versão do jato voltada para missões de ataque à superfície. Doze deles poderiam ser transferidos.

A informação foi publicada pelo jornal Le Figaro, um dos mais tradicionais da imprensa francesa, com 197 anos de história, e acabou desmentida horas depois tanto por autoridades francesas quanto ucranianas. O fato, porém, é que esse treinamento e uma futura transferência de jatos de combate representaria uma substancial mudança da postura francesa frente à Rússia. Essa decisão teria sido tomada em 8 de fevereiro, após a visita de Volodymyr Zelenskyy a Paris.

O governo ucraniano tem trabalhado desde o ano passado para receber jatos F-16, porém isso não se efetivou. Até o momento, apenas Polônia e Eslováquia confirmaram a transferência de caças para a Ucrânia, dezessete antigos MiG-29, somadas ambas as doações. Porém, ainda há sequer confirmação da efetiva chegada desses jatos à região do conflito.

Os Mirage 2000 D tem capacidade de defesa ar-ar, mas são focados em missões de ataque. Foto: Dave S

Aeronave de ataque

O Mirage 2000D foi desenvolvido a partir do Mirage 2000N, que era especializado em ataque com armamento nuclear. O D vinha de “Diversifié”, isto é, “multifunção”, denotando a capacidade de realizar diversos tipos de ataque. Trata-se de uma aeronave para dois tripulantes, sendo que o do assento traseiro utiliza sistemas de armas e de guerra eletrônica.

Essa versão voou pela primeira vez em 1993 e entrou em serviço em 1995. A França se tornou a única operadora, com 86 unidades. Entre as capacidades originais, estão a possibilidade de lançar mísseis AS-30L, bombas guiadas, anti-pista e “cluster”, além de contar com lançadores de foguetes e pod para canhão. Nos anos seguintes, foram incorporados o pod Damocles e os mísseis MICA IR.

Mirage 2000 D RMV Foto: Armée de l’air e de l’espace

Atualmente, a França conduz a modernização de 55 células para o novo padrão Mirage 2000D RMV (sigla de Rénovation Mi-Vie). Além do novo canhão, instalado em um pod, os Mirage 20000D RMV ganharam novos aviônicos, sensores e integração com os armamentos mais modernos do arsenal francês. O objetivo da França é manter os Mirage 2000D RMV em serviço além do ano 2030.

Não há informações se a Ucrânia receberia o modelo modernizado ou os anteriores. Também não há confirmações se a França negociaria o envio de caças Mirage 2000 de superioridade aérea.

LEIA TAMBÉM:

Ucrânia deve receber 17 MiG-29 e Rússia reafirma presença dos Su-35 no conflito

Ucrânia recebe helicóptero UH-60 Black Hawk

Ucrânia prepara bases aéreas para receber novos caças

Ucrânia já enviou pilotos de caça para treinamento nos EUA, diz porta-voz

Reino Unido nega envio de helicópteros Apache para a Ucrânia

EUA temeram que antiaérea russa dizimasse os A-10 na Ucrânia

Bayraktar e Shahed: os improváveis heróis na guerra da Ucrânia

Ucrânia usa música de “Top Gun” para pedir caças

França aposenta o Mirage 2000 C

França testa o Mirage 2000 D RMV

Mirage 2000 modernizado utiliza sistema Windows

NOVA EDIÇÃO DA ASAS!

USE O CUPOM: FRETE GRÁTIS

Carrinho